quinta-feira, 2 de agosto de 2007

Ronald Rios

Eu não matei o cara. Eu sei que parece muito óbvio e suspeito chegar falando isso, mas o que vocês queriam que eu fizesse? Chegasse comentando a prisão da Paris Hilton? Chegasse falando da versão extendida de "One Night In Paris", com mais uma hora de boquete-com-nojinho? Chegasse falando da versão brasileira do Simple Life, programa que lá fora é estrelado pela Paris Hilton? Eu aposto que alguém falou sim para alguma dessas - se não para todas as - alternativas. Então vou falar:

- 23 dias, cara. Em prisão especial. Quando saiu, lhe foi oferecido 1,5 milhão de dólares para dar uma entrevista. Quando pegaram o Tracy Morgan, fizeram o louco usar uma coleira. É um mundo muito bom para ser branco.

- Não vai ter anal. Paris Hilton não tem cara de que topa anal. Paris Hilton fazendo anal é tão impossível quanto eu ser o cara ali nesse anal. A versão extendida de de One Night In Paris será mais uma hora daquele boquete com a vontade de quem vai subir um morro. Assim, tem gente que quer subir um morro com toda a disposição. Em geral, Católicos querendo chegar na Igreja da Penha; ou viciados que queiram chegar no topo do morro para descolar sua farinha do dia. Porque sim, existem viciados que sobem morro por não saberem que existem bocas ao nível do mar. Mas então, sabe essa disposição? Não é a disposição da Paris chupando.

- Menor idéia de quem seja Ticiane Pinheiro. Mas Karina Bacchi é A Mulher do Piercing no Clitóris. Você tem que gostar dum ser humano com essa descrição.
Mas eu não matei o velho. Éramos amigos. Tipo Karina Bacchi e Ticiane Pinheiro. Eu ouvia suas histórias e ele comprava minha erva. Eu disse erva? Avon, eu disse Avon. Esse teclado tá meio ruim.

Ok, erva. Buh. Me prenda!

Péra, não me prenda. Um crime de cada vez.

Então ele comprava minha erva e ficávamos conversando por horas. Era um coroa divertido. Às vezes atrasava no pagamento, mas não dá para confiar na memória de quem fuma maconha para te pagar, né? Por isso eu fiz um carnê. É feito com um papel bem duro, para o cliente não fazer de seda na hora do aperto. E quando tira a folhinha, pode usar aquela folha menor - aquela que sobra, sabe? - de filtro pro baseado. Esse sistema me dá um certo orgulho. Todo mundo se diverte e não esquece de me pagar.

"E se perder o carnê?"

Bom, foi o que aconteceu com o Austregésilo. Ele havia atrasado o pagamento do carnê. Mas antes que levantem a hipótese deu ter matado o velho por atraso, eu já aviso: eu não mato meus clientes. Simplesmente porque meus clientes eram todos velhos e tem o Estatuto do Idoso rolando aê. Ninguém que desrespeitar essas leis.

Meus clientes eram velhos porque eu decidi pegar um mercado que não pode subir favela, assim eu não me metia em confusão com as facções criminosas. Essa galera às vezes pode ser meio agressiva. Mas eu não, eu tento vender o meu bagulho na base da camaradagem. Converso, preparo um lanchinho, e enrolo para os que têm mão muito trêmula.

E enrolando um para o Austregésilo, conversávamos:

- Mas o senhor vai me pagar hoje, não é Astra?
- Sim, Ronald.

Gostava do Austregésilo porque ele sempre me chamava de Ronald, que ao contrário de todos os velhinhos de histórias fictícias, sempre chamam as pessoas de "meu filho". Pela idade, não deveriam falar "meu neto"?

- Bacana. Porque eu gosto muito do senhor para te matar.
- Hahahaha! Você sempre fazendo essas piadas de homicídio a quem está inadimplente!
- Isso, essas... essas piadas. Mas me diz, vai me pagar, né? Pega a carteira antes de acender a vela, Astra.
- Pagar o quê?
- O bagulho de semana passada.
- SEMANA PASSADA EU ERA O ROMÁRIO DEIXA O BAGULHO DE SEMANA PASSADA PRA SEMANA OITAVA.

Num vacilo onde tinha largado o baseado para pegar o peito de peru numas de preparar o lanche da larica, o Astra já havia acendido o beque. Confesso que fiquei nervoso. Eu tava contando com aquele dinheiro para pagar a minha natação. Já ia ser o segundo mês consecutivo que eu não iria pra natação por culpa do Austregésilo.

Não mexe com o dinheiro da minha natação.

Mas me acalmei e deixei passar esse vacilo do Astra. Não me acalmei do nada, é claro. Como dali não ia sair muita coisa, resolvi fumar unzinho para fazer a cobrança depois.

Veio a larica.

E o Astra comendo Trakinas com mortadela.

Mas eu não, eu tenho uma larica diferente.

Eu gosto de me vestir.

Coloco sapato bico-fino, bota de cowboy, chapéu de marinheiro, tubinho preto, a porra toda.
E saí na vibe de arrumar uma camisa de botão limpinha. A minha tava toda suja de Tang de Morango. E foi isso que fiz o resto da noite.

Quando saí do quarto, o Astra tava se acabando no Sucrilhos com Sprite. E é assim que ele vai ficar na minha memória.

Vai com Kellogg, Astra.

17 comentários:

Bernardo Zirpoli disse...

Melhor não ir preso. Fiquei sabendo que blogueiros tem que andar por aí com um supositório pra detectar o nível de cannabis no sangue.


PS: Ticiane Pinheiro é a filha da "garota de ipanema", Helô Pinheiro.

Anônimo disse...

PS2: E ela é casada atualmente com Robesto Justus.

césar |. miguel disse...

Ela não tem piercing, mas saiu na Playboy junto com a mãe.

césar |. miguel disse...

Ah, mudaram o header.
Ficou melhor.

Muta disse...

Ronald Rios é meu mais novo ídolo!

Cara, sensacional!!!!

Muta disse...

PS1.: falem mais da Karininha...
PS2.: aposto que um filme dela, aos moldes do da Paris, seria beeeem melhor!

hohoho

Lacerad disse...

Genial Ronald. Muito, muito bom!

Paula disse...

Vou querer o telefone do Ronald Rios. Obrigada.

Ronald Rios disse...

é pra comprar droga?

Muta disse...

ronald, me arruma um carnê desses?

hoho

Smurfete disse...

Ahahahaha
nem Agatha ,escreveria um mistério melhor.
Arrasou.

*Renata Costa* disse...

Ronald, vc é foda!

Anônimo disse...

x

Anônimo disse...

In facto, duvido que minha mensagem seja publicada devido à repressã que pessoas com morl tem nesse pais.
Fazer piada com dorgas não é engraçado. Esse é um facto que comprovadamente torna o mundo pior. Criminalidade, imoralidade e tenacidde são as causas e efeitos.
Em verdade eu digo-vos: Isso fará com que mais jovens conheçam, via internet, as drogas, e logo após, emaconhados, pratiquem atos de gomorria e sodomia.
A maconha é o problema. Se fosse LSD entretanto, as coisas seriam diferentes.
Nada melhor do que estr doido de LSD pra praticar sodomia com peixes. Você nem sente as tripas dos peixes se enredando em seu prepúcio,com gosmas e tripas penetranto nos entremeios da glande.
Que deus os abençoe.

césar |. miguel disse...

Esse último comentário matou a pau.

Taci disse...

Tô acompanhando os depoimentos e o que menos desconfio é do Ronald. Eles eram amigos de baseado....e isso é pra sempre.

Anônimo disse...

nha é o problema. Se fosse LSD entretanto, as coisas seriam diferentes.
Nada melhor do que estr doido de LSD pra praticar sodomia com peixes. Você nem sente as tripas dos peixes se enredando em seu prepúcio,com gosmas e tripas penetranto nos entremeios da glande.
Que deus os abençoe.

5 de agosto de 2007 19:59