quarta-feira, 5 de setembro de 2007

Interlúdio 16

- Então foi você que apunhalou o velho pelas costas! Ou foi você? Ou foram vocês? Agora fiquei meio confuso. Cabelo, algema eles!
- Eles já tão grudados um no outro, Neneco. Não acho que algemar eles vá fazer muita diferença.
- Hum, tem razão. Então vamos chamar logo a polícia. Mais um caso resolvido com sucesso.
- Eu não chamaria o fato do assassino aparecer de livre e espontânea vontade confessando o crime de “mais um caso resolvido com sucesso”. Mas pelo menos livraram minha cara. Deixa eu apanhar o telefone...


- Um momento, detetives!
- Desculpe, os depoimentos acabaram e nós já temos um culpado. Aliás, um não. Dois. Estamos bem satisfeitos.
- Mas eu encontrei um negócio que pode interessar. É um livro grosso, de capa dura, com colagens na capa e anotações diárias de seu proprietário, sob um ponto de vista subjetivo.
- Você quer dizer... um diário?
- Isso mesmo.
- Onde você achou isso, rapaz?
- Naquele cômodo da casa destinado ao processo de limpeza das roupas domésticas.
- Na lavanderia?
- Isso aí. Vocês me botaram lá para autografar meu livro, lembra?
- Ah, é. E aí, Cabelo, vamos dar uma olhada nessa bagaça?
- Claro que vamos, Neneco! Que tipo de detetive é você, que despreza uma evidência importante dessas, o diário da vítima?
- É que está quase amanhecendo, estou com fome e isto está me cheirando a reviravolta...

8 comentários:

Déa disse...

Só não me digam que começa com "querido diário"! hehehe

heracles disse...

reviravolta, reviravolta...

velho feladaputa!

Luiza Braz disse...

Pena, acho que eles os siameses não vão poder voltar pro Sesc Itaquera...

Anônimo disse...

Era tudo um sonho e eles acordaram numa noite de verão.

Raquel disse...

Nada... eles vão descobrir que foi o Coronel Mostarda, com o candelabro, na biblioteca! Ha!

Muta disse...

raq, se fizerem isso eu bato no quinho, hahahaha.

césar |. miguel disse...

Agora é que vai ficar bom.

Anônimo disse...

melhorou!
Eu sabia q tinha mais...
o cara do pavê não apareceu!